Actividades
fisica.uc.pt
 
www.fis.uc.pt/fb/z/ozone.php?args___=3.5.3.1.5.ac.7.xvo&w=1&id_ctiv=f.0.0&id_obj=f.0.0.6&nojs=1info print refresh  



  link a
  link b
  link c
 

NOTA DE IMPRENSA

FCTUC cria Mestrado inovador em Astrofísica e Instrumentação para o Espaço


Decorreu no dia dia 24 de Julho no Anfiteatro do Museu de Ciência da Universidade de Coimbra}, a apresentação pública do Mestrado em Astrofísica e Instrumentação para o Espaço, um mestrado inovador que arranca já no próximo ano lectivo, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).



Esta sessão teve lugar no ano Internacional da Astronomia, precisamente quando se completam 40 anos sobre o regresso à Terra da tripulação da missão Apollo 11 à Lua, tendo sido acompanhada por um documentário sobre as missões Apollo, no último dia em que a rocha lunar trazida pela missão Apollo 15 esteve exposta no Museu de Ciência.

A Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra há muito que participa em muitas investigações nesta área do conhecimento, seja no domínio da Física Estelar e Dinâmica do Sistema Solar, mas também em experiências científicas e em instrumentação com relevância para a investigação espacial.

O Mestrado surge ancorado na actividade científica da UC e vem dar resposta à elevada a necessidade, a actual e a que se perspectiva, de jovens altamente qualificados, com diferentes padrões de formação base, capazes de integrar grandes colaborações científicas mas também empresas especializadas de base tecnológica.


A Astrofísica consolidou-se na última década enquanto disciplina de precisão, fruto do avanço tecnológico que permitiu a construção de telescópios e demais instrumentação com qualidade antes inimaginável, colocados quer à superfície da Terra quer em órbita.

As modernas experiências são fortemente multidisciplinares, nelas participando astrónomos, físicos, engenheiros, matemáticos mas também químicos e geólogos. Gigantescas quantidades de dados observacionais têm de ser analisadas e interpretadas. A participação de Portugal nas grandes organizações internacionais é hoje incontornável e tem crescido, o que originou o aparecimento de várias empresas tecnológicas portuguesas com projectos e contractos no domínio do Espaço.

Está em causa, nomeadamente, a concepção e desenvolvimento de instrumentação astronómica e espacial de elevada precisão; análise de dados astronómicos; tratamento de imagem; reconhecimento de padrões e processamento distribuído de bases de dados observacionais; simulação e modelização cosmológica envolvendo os processos físicos subjacentes.
 
© Departamento de Física 2007 - in_situ - Ozone.